Meu Carrinho:
Itens: 0   Valor Total: 0,00
Acessórios
Bolsas
Botas & Meias
Capuz
Cilindros
Coletes
Computadores
Facas
Foto & Vídeo
Instrumentos
Lanternas
Luvas
Mascaras
Nadadeiras
PADI
Reguladores
Roupas
Snorkels
Técnico
Informações

Colete Aqua Lung Wave (usado)
Preço:
R$ 499,00

 Veja Mais


Moema › Notícias

Baleia Narwhal

 


Narwhal: símbolo mais exótico não poderia existir, pelo menos quando tratamos de baleias e golfinhos, mamíferos aquáticos pertencentes à Ordem Cetacea - do latim cetus (um grande animal marinho) ou do grego Ketus  (baleia; monstro do mar) - a qual compreende espécies,  que variam de 1,5 a mais de 33 m metros de comprimento, divididas entre baleias, botos, golfinhos e toninhas.

Nome científico:  Monodon monoceros

Este texto é uma colaboração da Bióloga Laura Ippolito M. Moura

Narwhal: símbolo mais exótico não poderia existir, pelo menos quando tratamos de baleias e golfinhos, mamíferos aquáticos pertencentes à Ordem Cetacea - do latim cetus (um grande animal marinho) ou do grego Ketus  (baleia; monstro do mar) - a qual compreende espécies,  que variam de 1,5 a mais de 33 m metros de comprimento, divididas entre baleias, botos, golfinhos e toninhas .

A conhecida “baleia” narwhal pertence na verdade ao mesmo grande grupo dos golfinhos. Cercado de lendas, devido ao seu dente modificado, disposto em espiral como um lendário unicórnio  e chamado de  presa, o narwhal é um dos mais curiosos cetáceos, com pouquíssimos hábitos e comportamentos até hoje estudados e com uma grande quantidade de informações - nem sempre precisas, devido, talvez, ao local bastante restrito que habitam, o Oceano Ártico, pela pequena população e por talvez não apresentarem longas migrações como as grandes baleias.  O nome narwhal parece ter origem de narrow – baleia com dente estreito projetado.

A presa que lembra um chifre de unicórnio é na verdade um dente modificado em espiral, que pode atingir de 1,5 a 3,0 metros de comprimento. Apresenta um formato em espiral fino e longo, que cresce no sentido anti-horário. Pode medir até 30 cm na circunferência da base e chegar a pesar 10 kg. Todos os narwhais tem dois dentes na parte superior da mandíbula. Quando um macho tem por volta de um ano de idade, um dente eclode para fora e se transforma em um dente diferenciado (presa). Enquanto quase todos os machos desenvolvem um único dente no lado esquerdo da mandíbula superior, apenas 3% das fêmeas desenvolvem um dente diferenciado, pequeno, delicado e fino, o qual raramente é maior que 1,2 metros. Existem poucos casos onde, eventualmente, os dois dentes saem juntos para fora, na forma de um. Apenas 1, em cada 500 indivíduos, apresentam os dois dentes diferenciados. Poucas pessoas viram isto no mundo. Na literatura foi encontrado apenas um caso de uma fêmea com 2 dentes diferenciados. A presa de um adulto é coberto de algas e diatomáceas as quais dão uma coloração marrom-esverdeada ao chifre. Muitas hipóteses são propostas na tentativa de explicar a função desta excêntrica estrutura e existem muitas controvérsias sobre sua função. Muitas hipóteses têm sido propostas: para caçar: usando como um arpão para pegar o alimento, cutucar a comida, cavar o fundo para achar alimento, perfurar o gelo se necessário para subir a atmosfera para respirar. Outros estudos sugerem que machos apresentam um comportamento de competição pelas fêmeas, esta luta serviria também para estabelecer a hierarquia e/ou dominância social. São achadas cicatrizes atribuídas a ação destes dentes nas cabeças de machos adulto. A ponta da presa sempre lisa, limpa e sem algas faz-se pensar que a estrutura é regularmente utilizada. Outra hipótese: pode servir para oferecer menor resistência á água. Acredita-se que não há um papel representativo na função para evitar a predação por orcas.

Por pertencerem à mesma família, os narwhais compartilham muitas características físicas com as belugas (Delphinapterus leucas). Eles são semelhantes em forma e tamanho. São caracterizados por apresentar um corpo robusto, de médio porte. Possuem a cabeça arredondada, carecem de nadadeiras dorsais (às vezes apresentam uma pequena elevação de até 5 cm no local da nadadeira dorsal), tem uma camada grossa de gordura que pode variar de 5 a 10 cm. O narwhal apresenta também pequenas nadadeiras peitorais e vértebras cervicais não fundidas permitindo, portanto, boa flexibilidade do pescoço. Nascem com cerca de 80 kg, medindo de 1,5 a 1,7 metros. Quando adultos, chegam a pesar de 800 kg a 1600 kg e atingem um comprimento de 3,8 e 4,7 m, sem incluir seu dente modificado que pode chegar a 3 metros. Os recém nascidos apresentam coloração uniforme: são acinzentados ou amarronzados. A sua cor varia com a idade; depois de 1 ou 2 anos eles vão ficando pigmentados de preto; durante a adolescência manchas brancas vão aparecendo. Os adultos apresentam manchas pretas e marrons com um fundo cinza e os muito velhos podem se apresentar completamente brancos. Os nascimentos ocorrem  principalmente no verão, de julho a agosto.

São adaptados a viver em águas muito frias em latitudes muito altas,  associados a  blocos de gelo. Encontram-se descrições na literatura de nascimentos em 84º de latitude norte. Há grandes concentrações de narwhais no Estreito de Davis, ao redor da Baía de Baffin, no Mar de Groelândia e águas adjacentes. A Principal área de distribuição é no ártico canadense central, a leste da Groelândia e no ártico central da Rússia. Eles são raramente observados no leste do ártico Russo, no Alaska e no oeste do ártico canadense. O narwhal também é raramente achado ao sul de 70 graus de latitude norte. Sua dieta é composta de: peixe, lulas, polvos e outros crustáceos. Para se alimentar movem-se de forma irregular, em círculos, de um lado para o outro ou lentamente, e passam pouco tempo na superfície, permanecendo submersos entre por volta  7 a 20 minutos.

Vivem em grupos de 2 a 10 indivíduos, mas algumas evidências indicam ser apenas partes de um grande grupo de centenas de narwhais. Os grupos costumam ser segregados por idade e sexo, na maioria das vezes relata-se grupos só de machos e outros de fêmeas com jovens. Existem três modelos básicos conhecidos de distribuição e de migração. A migração anual é realizada em águas abertas no outono e voltam por águas costeiras na primavera. Flutuam constantemente e ficam esperando na superfície por 10 minutos com a parte dorsal ou nadadeiras sobre a água. Em mares agitados eles costumam descansar em baixo d’água. Como predadores dos narwhais temos as orcas, ursos polares e morsas. Os narwhais tem sido caçados por muitos séculos tanto por esquimós como por europeus, pelo valor do chifre de unicórnio, para a produção de ração para cães, comida e gordura para óleo. Um macho grande, de 4,7 m, fornecia 450 kg de carne e 14 kg de muktuk (pele e gordura), uma iguaria, com função antiescorbútica, pelo alto teor de vitamina C. Hoje a caça é liberada para a subsistência de nativos da Groelândia e do Canadá.

Classificação:

Ordem Cetacea (Brisson, 1762)
Subordem Odontocete (Flower 1867)
Família Monodontidae (Gray, 1821)
Gênero Monodon
Espécie Monodon monoceros
Nomes populares Baleia Narval, Narval, Narvalo, Narwhal, unicórnio.

IUCN (International for the Conservation of the Nature)  – Insuficientemente conhecida

Texto revisado por:
Prof. Dr. Mario M. Rollo Jr.  (Professor da Universidade Estadual Paulista (UNESP) Campus do Litoral Paulista, São Vicente-SP)
Dr. Milton Marcondes   (Médico Veterinário do Projeto Baleia Jubarte, Caravelas-BA)

Bióloga formada pela Universidade Mackenzie.

 

 

« voltar

 
  Principal     A Empresa     Unidades     Serviços     Cursos     Turismo     Staff     Log Book     Galeria     Franquia     Contato
 
© Copyright 2006 - 2014. Todos os direitos reservados.      
Desenvolvido pela INSTAR